Uma boa tática para fazer um acordo com os seus sócios

Como estabelecer um acordo com os meus sócios?

Para sanar a sua dúvida, trouxemos para você uma boa técnica jurídica para um bom acordo entre os sócios.

Essa prática chama-se Vesting.

Continue a ler para entender o que é, e aprender com as dicas de Max Oliveira, CEO da MaxMilhas, que explicou como utilizou o método na sua empresa.

Uma breve contextualização sobre a empresa  MaxMilhas

A MaxMilhas é uma startup inovadora que surgiu a partir de uma ideia do CEO e fundador Max para criar uma plataforma de compra e venda de milhas, possibilitando descontos de até 80% em passagens aéreas.

Foi fundada em 2013 em Belo Horizonte e já alcançou mais de 5 bilhões de milhas negociadas e mais de 500 mil passagens emitidas.

Agora: o que é Vesting?

Max Oliveira expõe que um bom mecanismo para ser utilizado para acordos societários é o contrato de Vesting, algo que ele não utilizou no início da MaxMilhas, mas que hoje já é parte do negócio.

Vesting é um termo jurídico muito utilizado nos Estados Unidos, assim como por todos os tipos de Venture Capitals e startups.

Ele define as condições da participação de cada um na empresa, considerando todos aqueles que são acionistas, mas que não compraram sua participação na startup, incluindo assim fundadores, funcionários, advisors, membros do conselho, etc.

Com o Vesting, é possível atrelar a concessão do percentual acordado mediante a gatilhos, como, por exemplo, tempo de permanência na empresa.

Quer aprender a controlar melhor os custos da sua empresa? Clique aqui

 Vantagens

Assim como o CEO da MaxMilhas, o professor Belda também destaca as vantagens do contrato de Vesting, que visa proteger o empreendedor.

O especialista chama a atenção sobre como deve ser estabelecida a relação societária em um negócio, pois, muitas vezes, as expectativas sobre a empresa podem ser diferentes entre sócios e investidores, por exemplo.

Livro Venture Deals

“O Vesting é um dos instrumentos jurídicos e administrativos mais adequados para fazer com que a participação de cada sócio seja proporcional aos resultados gerados. O regime de Vesting é uma forma do empreendedor se precaver contra sócios que não entregam aquilo que prometem. Portanto, é muito importante pactuar e estabelecer em que condições essas participações serão exercidas a médio e longo prazo”, finaliza o professor.

Nossa aula foi contextualida por conceitos contidos no livro Venture Deals, essenciais para qualquer  empreendedor.

Os autores de Venture Deals reservam um espaço em seu livro para tratar mais detalhadamente sobre o Vesting.

Eles afirmam que apesar de ser um conceito simples, pode render implicações inesperadas.

Ainda ressaltam que este é um recurso eficiente para a garantia de comprometimento a longo prazo na relação sócios e empresa.

Numa forma mais clara, por exemplo, um sócio detém 50% das ações da empresa, e o Vesting adotado é de quatro anos.
Caso este sócio decida deixar o negócio na metade deste período, ou seja, ao final do segundo ano, ele só terá direito a 25% das suas ações no momento da saída.

Nas considerações dos autores de Venture Deals, um contrato de Vesting deve ser entendido como uma ferramenta para alinhamento geral, que impacte e proteja fundadores, funcionários e investidores, e afirmam que “uma abordagem equilibrada e consistência” é fundamental para que este termo entre as partes seja duradouro.

 

Na aula completa, Max esmiúça detalhes sobre a escolha dos seus sócios, incluindo erros e acertos. Além da explicação completa do professor especialista Francisco Rolfsen Belda.

Continue o seu aprendizado por lá!

 



Comentários

Send this to friend