O que é open innovation?

Os impactos do avanço tecnológico na sociedade trouxeram muitas mudanças ao meio corporativo.

Os profissionais das empresas já têm uma necessidade em desvendar esses impactos e desenvolver métodos para acompanhar essas transformações, condição essencial para que as empresas possam se manter altamente competitivas no mercado de trabalho.

E encontrar métodos para acompanhar essas transformações não diz respeito somente à utilização da tecnologia que deve estar presente nessas organizações, mas à cultura que é empregada nesse meio, a fim de fazer com que a empresa partilhe desse momento de inovação e saiba gerar mais valor ao negócio.

E foi pensando nisso tudo que o processo de open innovation foi criado, a fim de que as empresas fiquem mais abertas à inovação.

Agora, fica o questionamento: o que você está fazendo para aprender mais sobre os meios que correspondam à realidade oriunda do avanço tecnológico?

Estar sempre atualizado nos dias de hoje é quase que essencial para acompanhar o ritmo do mercado de trabalho.

Por isso, veja o post abaixo para aprender mais sobre o processo de open innovation e não ficar para trás!

A necessidade de mudança a partir do avanço tecnológico

O sistema tradicional de gestão de ideias das empresas sempre foi muito tradicional.

Sendo mais vertical e fechado, cada equipe desenvolvia suas funções, sem uma integração com o restante da empresa. Além disso, muitas empresas se bastavam apenas na sua própria tecnologia, sem buscar novas fontes e outras formas de pensamento.

Porém, embora o conhecimento e as transformações tecnológicas estejam se disseminando muito rápido, possibilitando uma ampliação do mercado para novas empresas surgirem, muitas delas ainda mantém esse sistema fechado.

Foi a partir dessa necessidade de mudança proveniente do impacto tecnológico que criou-se o conceito de open innovation.

Open innovation foi um termo criado em 2003 pelo professor e diretor executivo da Universidade de Berkeley, nos EUA, Henry Chesbrough, ao observar que, mesmo com todo o contexto, grandes empresas americanas ao longo do séc. XX tinham uma forma de inovação muito fechada, havendo uma necessidade de transformar esse sistema.

O open innovation é um processo de inovação para as indústrias e empresas promoverem ideias, pensamentos e pesquisas abertos, a fim de que essas ideias auxiliem no avanço do desenvolvimento de novas tecnologias para produtos e processos. E, consequentemente, gerar mais valor ao negócio.

A sua principal diferença com o modelo de inovação antigo é que essa linha de pensamento e a colaboração de ideias são realizadas dentro e fora da empresa, havendo uma comunicação entre entidades que não fazem parte de uma determinada organização.

Portanto, os novos sentidos do open innovation são:

  • De fora para dentro da empresa, onde ideias e tecnologias do meio externo são consideradas para a melhoria dos processos da empresa;
  • De dentro para fora, quando muitas ideias e tecnologias desenvolvidas tornam-se disponíveis à parcerias.

O open innovation nada mais é do que um conjunto de iniciativas internas com uma combinação de várias entradas do ambiente externo. É um modelo com grande relevância por ter sido pensado em um momento onde o avanço tecnológico pedia isso.

Pedro Pereira, da empresa SAP, que apresenta soluções para empresas de todos os portes operarem melhor, diz que “o mundo está muito rápido, então se as empresas e as pessoas que estão por aí não fizerem alguma coisa para poder acelerar esse processo, as coisas não acontecem muito, então o movimento de open innovation traz mentes boas que há nas empresas, mentes abertas para olhar os problemas da sociedade, que realmente tem um impacto, e explorar maneiras de chegar a esse problema através de uma solução.”

Portanto, esse sistema não se pauta somente na nova ideia, mas no processo de realização dessa ideia: “traz com o processo (open innovation) a maneira de engajar pessoas que tem uma energia bacana de resolver esses problemas e entregar valor para a sociedade.”

Benefícios do open innovation para as empresas

Essa nova forma de pensar nas empresas a partir do open innovation traz muitos benefícios a elas.

A construção de uma cocriação a partir da formação de ecossistemas, onde a empresa e outras entidades exteriores a ela podem interagir para construírem juntas um processo colaborativo de inovação, também é algo muito vantajoso para troca de experiências e formação de uma nova solução de grande valor.

A maneira de abordar a inovação coletivamente aumenta a sua capacidade de produção. Pense em como é válido que as empresas se unam a outras entidades para que pensem juntas algumas maneiras de avançar com a inovação.

Muitas ideias surgem e muitos conhecimentos são compartilhados a fim de construir uma solução que seja de valor à sociedade e às partes envolventes nesse processo.

De acordo com Pamela Meyer, autora do livro The Agility Shift, “todos os membros buscam por troca de ideias e talentos, além de esperar dessas pessoas uma mudança na agilidade e saber como praticar um aprendizado contínuo e inovador.

Além disso, construir moldes mais complexos para a inovação a partir de parcerias também reflete e muito em todos os processos da empresa.

Pamela Meyer também diz que você não precisa ser uma corporação multinacional ou uma grande instituição de educação para beneficiar-se da polinização cruzada de ideias e soluções inovadoras no ecossistema.

O avanço da tecnologia e adaptação das empresas a essa mudança pode proporcionar uma melhoria e aperfeiçoamento de várias estratégias da empresa, já que seus processos podem se tornar muito mais ágeis e inteligentes.

A construção de uma inovação colaborativa também não pauta-se somente nos processos de uma empresa, mas na sua cultura como um todo, pois surge uma grande sinergia com todas as entidades envolventes, transformando-as em entidades mais abertas.

Por isso, o crescimento da empresa e dos colaboradores envolvidos também pode ser uma vantagem do open innovation, pois é uma grande experiência de manter as portas abertas para trabalhar em conjunto.

Como promover a inovação

Para promover a inovação é muito importante ter uma infraestrutura que abrigue todas as partes da empresa, assim como as entidades externas a ela, mas também pensar no cliente envolvido nesse processo.

O design thinking é uma abordagem importante para o processo de inovação aberta, que busca por soluções inovadoras de forma coletiva e colaborativa, onde as pessoas são o centro dessa abordagem.

A sua principal ideia é buscar informações e experiências dos potenciais clientes no intuito de obter uma visão mais completa da solução de problemas.

Esse é o método utilizado pela empresa SAP. Pedro Pereira nos contou que quando os clientes vão ao escritório da SAP em Dubai, eles são levados para essa área de design thinking.

Nessa área, todas as pessoas podem escrever nas paredes as suas ideias, assim como os colaboradores da empresa, que apresentam voz ativa nesse espaço.

O design thinking é “estrutura física que nós colocamos que na verdade conecta mentes das pessoas que estão envolvidas nesse processo de inovação para um resultado de negócio”, disse Pedro.

Além disso, Pedro também revela que muitas tecnologias foram desenvolvidas pela própria empresa para que os colaboradores da SAP possam gerar ideias de inovação, empresas e startups, até que tenham condição de investir na ideia e desenvolvê-la.

Ele ainda diz que “dessa maneira a SAP não só está criando produtos para ajudar as empresas a tocarem o negócio, a fazer o negócio acontecer, mas também melhorar a vida das pessoas.

Porém, o processo de open innovation não para por aqui.

É preciso conhecimento para integrar esse método à equipe das empresas, que muitas vezes se unem a entidades para buscar soluções inovadoras, criando um meio de cocriação.

Quer saber mais? Então veja a aula completa:



Comentários

Send this to friend