Os riscos associados a criação de organizações exponenciais

Para começarmos esse texto é preciso que você entenda o que é uma Organização Exponencial, quais suas características e o que as diferencia das empresas tradicionais do mercado.

Para isso, sugerimos que você leia o post As características das organizações exponenciais.

Antes de criar uma Organização Exponencial, é necessário avaliar todos os riscos e analisar a melhor forma de lidar com eles, pois qualquer falha mal calculada pode ser fatal.

Marcio William, fundador da Easy Taxi, compartilha os riscos que o negócio sofreu em seu início e como foram superados para se tornar um dos maiores aplicativos de táxi do Brasil.

A versão beta foi criada em 2011, mas o aplicativo foi lançado oficialmente em 2012 e a plataforma conseguiu mais de 30 mil motoristas e 1 milhão de downloads com um pouco mais de um ano de funcionamento.

Hoje, a Easy Taxi está presente em diversos países da América Latina como México, Colômbia e Chile.

Para definir as estratégias usadas na ascensão da startup, vamos trazer os conceitos do livro “Organizações Exponenciais”. Os autores Salim Ismail, Michael S. Malone e Yuri Van Geest possuem vasta experiência com empreendedorismo e negócios e trazem seus conhecimentos em conceitos bem definidos e práticos.

A professora Mônica Aquino Clemente tem MBA em Negócios e Administração, além de ser consultora organizacional e de planejamento. Com base no estudo de caso de Marcio William, ela explica sobre o mercado global e os desafios que o mesmo acarreta.

Conheça os riscos e se prepare para eles

Marcio conta que começou a Easy Taxi usando o próprio dinheiro e dos demais fundadores para comprar smartphones para os taxistas e então validar a ideia. Depois o negócio conseguiu um investimento anjo de duas empresas – Monashees e Rocket – investidoras que de fato se identificaram com o negócio.

O fundador destaca que um ponto muito importante na hora de procurar investidores é o smart money. O negócio precisa estar aliado com investidores e parceiros de negócio que contribuam não apenas para a parte financeira, mas também com o negócio, reduzindo riscos devido à grande experiência e ajudando com a rede de contatos.

No livro “Organizações Exponenciais” os autores escrevem as três principais áreas de risco que o empreendedor digital precisa estar atento e que são o foco de análise dos investidores: risco tecnológico, risco de mercado e risco de execução.

Vamos entender cada uma delas.

Risco tecnológico. Com a evolução da tecnologia esse risco foi diminuído em 150 vezes ao longo de 20 anos, porém ainda resta uma pequena parte que preocupa os investidores chamada escalabilidade.

Há um risco de a tecnologia não ser aceita ou do empreendedor não conseguir implementar um produto com ela. Entretanto, se tratando de startups, esse risco tem se reduzido drasticamente, à medida que a tecnologia evolui, tornando-se mais eficiente e acessível.

Risco de mercado. Há alguns anos, testar um produto no mercado era caro e demorado. Só era possível validar o produto depois que ele estivesse pronto e à venda para os clientes, e se estes não gostassem o negócio ficaria mais caro ainda.

Para diminuir o risco de mercado, a Easy Taxi desenvolveu o produto de forma incremental em ambiente controlado para validá-lo antes de lançar a versão oficial. E para expandir em outros países ele fez parcerias com pessoas que conheciam esses lugares e que podiam ajudá-lo a inserir o negócio no mercado.

Hoje, o produto pode ser lançado primeiramente em uma versão beta através de processos que permitem a experimentação em ambientes controlados, possibilitando a validação no mercado. Pesquisas com clientes podem ser feitas através da internet e redes sociais para testar o público, como campanhas de marketing a baixo custo. Assim, o empreendedor cria dados validados sobre o mercado e público do seu produto.

Outro caminho é o crowdfunding, ou seja, quando várias pessoas e até investidores se juntam para financiar um projeto de interesse em comum, realizando um financiamento colaborativo. Só quando esse projeto atingir a meta necessária é que ele começará a ser desenvolvido. Com esse método, o produto é validado no mercado antes mesmo de ser criado.

Risco de execução. Este é o risco que mais preocupa os investidores. Isso porque a organização da empresa, colaboradores, relação entre sócios e como o produto soluciona um problema de mercado são pontos definitivos para o crescimento exponencial.

Qualquer falha grave em execução pode significar o fim do negócio. O fundador da Easy Taxi conhecia esse risco, então, quando foi expandir para outros países, ele sabia que o aplicativo teria que atender tão bem os clientes como acontecia no Brasil.

Não existe um padrão para definir uma Organizações Exponencial de sucesso, apesar de todas as características que elas devem ter em comum, portanto cada negócio deve ser analisado de forma única, e todos esses pontos são levados em consideração na hora de decidir sobre um potencial investimento.

Processo de criação e Lean Startup

Os autores de “Organizações Exponenciais” revelam que, ainda hoje, a maioria das empresas se organizam no método linear, ou seja, uma relação de crescimento aritmético entre o número de funcionários e clientes, o que também aumenta o gasto financeiro.

As empresas com mentalidade linear dificilmente mudarão seus produtos ou serviços, pois elas não têm ferramentas e nem mesmo compreensão para isso.

Segundo os autores, o processo mais comum que os empreendedores seguem é o Desenvolvimento de Novos Produtos, que é dividido em 8 passos: 1. Geração de ideias; 2. Triagem de ideias; 3. Desenvolvimento de conceitos; 4. Análise de negócios; 5. Teste beta e teste de mercado; 6. Implementação técnica; 7. Comercialização; 8. Precificação do novo produto.

Mesmo que a maioria dos negócios em tecnologia estejam “enxugando” todos os departamentos, como vimos no começo da aula, alguns permanecem seguindo este processo de oito passos e não aderiram ao chamado Lean Startup.

Desenvolvido por Eric Ries, o conceito Lean Startup tem como foco identificar e eliminar desperdícios no processo de criação de negócios e produtos inovadores. Ele prega que quanto mais cedo errar, melhor, pois assim o aprendizado é acelerado e o produto consegue alcançar o mercado e crescer mais rápido.

Essa metodologia foca em desenvolver produtos de forma incremental, gerando valor gradualmente a partir da validação de hipóteses com o feedback do cliente. Foi a partir desse processo que a Easy Taxi descobriu seu potencial como produto e validou hipóteses se tornando, alguns anos depois, uma empresa de atuação global.

Veja a aula completa sobre a criação e crescimento exponencial da Easy Taxi. É só clicar no link abaixo:

 



Comentários

Send this to friend