Como a colaboração está transformando o mundo dos negócios

Como o pensamento inovador e as startups podem ajudar grandes corporações

Inúmeros são os casos de empreendedores que deixam o meio corporativo tradicional para empreender em seu próprio negócio.

Esse fato geralmente acontece porque grandes empresas muitas vezes não dão espaço e incentivo para que o funcionário desenvolva dentro da própria organização novas ideias e processos, prática chamada de intraempreendedorismo.

Sabendo dessa realidade, conversamos com a Laura Gurgel, CEO do Clube de Negócios, sobre a importância do intraempreendedorismo dentro de uma empresa, e como ele acontece na sua própria empresa.

O Clube de Negócios

Localizado em São Paulo, é um hub, ou seja, um espaço que reúne empreendedores e agentes do ecossistema, como aceleradoras e investidores criando uma rede de interação, que favorece o aprendizado e o crescimento de todos esses componentes.

O Clube de Negócios também trabalha com uma plataforma de networking online, cujo objetivo é estimular o relacionamento entre empreendedores e empresas integrantes da rede.

“Mais pessoas, mais valor, melhor funciona a sua rede”, diz Laura.

O intraempreendedorismo fomenta a inovação dentro de uma empresa, onde todos fazem parte desse processo como iguais e o melhor de cada um pode ser extraído. Tudo isso através da aproximação entre patrão-funcionário, com muita conversa, uma equipe com autonomia e proatividade e até mesmo com o uso de algumas ferramentas.

Aprenda a usar a metodologia OKR para melhorar o seu intraempreendedorismo e inovar no seu negócio!

Laura destaca que uma alternativa para que o intraempreendedorismo fosse mais valorizado seria uma mudança no mindset das empresas.

Aquelas organizações que reservam um tempo para que seus funcionários empreendam dentro da empresa com o propósito de criar projetos inovadores e alinhados com o objetivo do negócio estão mais propensas a alcançar o crescimento mais acelerado e se tornar um centro de aprendizagem e trocas de experiências que motive seus funcionários.

“Então, o funcionário que tem habilidade para desenvolver um projeto paralelo que favoreça a empresa, provavelmente é um intraempreendedor excelente, e que se essa vontade não for atendida, ele vai embora. Ele vai abrir uma startup e vai concorrer com você. E aí você vai ficar olhando porque ele vai ser rápido, muito rápido” afirma a empreendedora.

Startup Communities, Brad Feld

Portanto, hoje, com o rápido crescimento e as grandes mudanças de mercado, as empresas precisam se adaptar, seja fomentando internamente e abrindo espaços para funcionários empreendedores contribuírem com o crescimento do negócio, ou buscando alternativas externas, que possam solucionar os problemas e aprimorar processos sem grandes mudanças dentro da própria organização.

Neste contexto, Laura afirma que a ideia principal é mostrar para as grandes corporações que startups inovadoras e funcionários empreendedores dentro da empresa não são uma ameaça, mas sim uma contribuição, um apoio e uma forma de agregar conhecimento e contribuir tanto para o crescimento de ambas as partes como para a criação de um ecossistema de trocas.

Sua empresa não fomenta o intraempreendedorismo? Que tal mudar essa realidade com atitudes simples e agora mesmo?

Com base no caso do Clube de Negócios, produzimos uma aula inédita onde te ajudamos a se inserir cada vez mais no ecossistema de inovação.

A aula é contextualizada pelo livro Startup Communities do autor Brad Feld, e todos os conceitos apresentados são esmiuçados pelo professor especialista, juntamente com a analise completa do caso da empresa.

Comece a estudar agora mesmo:



Comentários

Send this to friend